top of page
Buscar
  • Foto do escritorVirgínia Muniz

BH-TEC é palco das apresentações de TCC de alunos da UFMG


banca de avaliação dos trabalhos de conclusão de curso
Os trabalhados abordaram temáticas da área inovação, o BH-TEC e o LabMIn | Virgínia Muniz/BH-TEC

Nesta manhã, o auditório do Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH-TEC) foi o cenário das apresentações dos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) dos graduandos da UFMG, resultado da integração entre dois projetos estratégicos do BH-TEC: o TCC Lab e o LabMIn.


Quatro apresentações abordaram temas de inovação, metodologias e parques tecnológicos, com ênfase especial no BH-TEC.


Os graduandos do curso de engenharia de produção da Universidade Federal de Minas Gerais tiveram a oportunidade de alinhar suas pesquisas aos desafios reais da área de inovação, cumprindo o objetivo do programa desenvolvido pelo ENG200 e o BH-TEC para apoiar alunos em fase final de graduação na UFMG, o TCC Lab (saiba mais).


"O TCC Lab é um projeto no qual as empresas do Parque propõem temas para os trabalhos. Nesse caso, a própria gestão de inovação do BH-TEC está propondo os temas de trabalho", destaca Ana Canhestro, Head de Inovação do BH-TEC.


"A integração com os alunos é de extrema importância para o Parque, pois eles ampliam nosso potencial de avaliação em diversos aspectos. Os trabalhos fornecem insumos valiosos para aprimorarmos nossos serviços e atividades como ambiente de inovação", ressalta Ana.


Oportunidade de trabalhar com questões reais

Aluno em apresentação de TCC
Rebecca Iaphah apresentando defesa para a banca avaliadora | Virgínia Muniz/BH-TEC

As pesquisas não apenas trouxeram insights e soluções para as demandas da instituição, mas também integraram os alunos ao ambiente de trabalho.


Para Rebecca Iaphah e Lucas Romualdo, autores do trabalho "Caracterização de residentes de parques tecnológicos", a escolha do tema teve como ponto de partida a relevância de Belo Horizonte no cenário tecnológico do país e a proximidade com um agente de inovação, o BH-TEC.


"É sempre interessante quando conseguimos aplicar nossos conhecimentos em uma situação na vida real. Especialmente algo tão próximo quanto o BH-TEC", conta Rebecca.


"A relevância do BH-TEC e de Belo Horizonte no cenário de desenvolvimento tecnológico foram fatores determinantes para escolhermos esse tema", diz a estudante, que obteve êxito na avaliação da banca.


Confira os temas apresentados:

  • "Caracterização das organizações residentes no parque tecnológico" - Lucas Romualdo e Rebecca Iaphah;

  • "Escala de Prontidão para MeF" - Ana Luisa Dalmacio e Bárbara Santiago;

  • "Portfólio de MeF" - Marques Ramos

  • "Hubs de inovação" - Jonathan Boncompagni

LabMIn no TCC

aluna apresentando TCC
Ana Luisa Dalmacio, umas das autoras do trabalho "Escala de Prontidão para MeF" | Virgínia Muniz/BH-TEC

Além do programa TCC Lab, os trabalhos destacaram o Laboratório de Metodologias de Inovação (LabMIn) - outro projeto coordenado pelo BH-TEC - composto por quatro núcleos da UFMG e de outras universidades mineiras (saiba mais sobre o LabMIn).


"A espinha dorsal dos trabalhos é o LabMIn, um projeto coordenado pelo BH-TEC. Os trabalhos estão voltados diretamente ao LabMIn ou aplicados ao próprio BH-TEC", explica Raoni Bagno, professor do departamento de engenharia de produção da UFMG e orientador dos trabalhos.


Alunos que defenderam seus trabalho no BH-TEC
As conclusões das pesquisas serão entregues como feedbacks para melhorias de projetos e resolução de desafios para a inovação e o BH-TEC | Virgínia Muniz/BH-TEC

A defesa perante a banca de avaliação da universidade é apenas uma parte das entregas dos estudantes. Além da apresentação, os alunos repassam os resultados da pesquisa para a equipe de gestão dos projetos e do BH-TEC.


"São trabalhos com potencial científico. Além de apresentar o trabalho final de graduação, os alunos também entregam uma versão reduzida para que possamos publicar isso como artigo científico", destaca Raoni.


"A nossa intenção é sempre ter uma aplicação para o Parque, uma aplicação para o nosso laboratório de metodologias, algo prático e voltado à realidade das empresas que participam do projeto, mas que também gere input científico e acadêmico", conclui o professor Raoni Bagno, que também coordena um dos núcleos que compõe o LabMIn, o Núcleo de Tecnologia da Qualidade e da Inovação (NTQI) da UFMG.


49 visualizações0 comentário
bottom of page