top of page
Buscar
  • Foto do escritorComunicação BH-TEC

O que é neoindustrialização? BH-TEC recebe referências nacionais para detalhar tema

Atualizado: 27 de fev.

Capa da Sexta no Parque, tema Neoindustrialização
BH-TEC sedia evento gratuito com três dos principais nomes do Brasil sobre neoindustrialização

Lançado oficialmente pelo governo federal em janeiro, o plano Nova Indústria Brasil (NIB) define ações e metas para o desenvolvimento do país até 2033. É o que dita o rumo das políticas públicas de agora em diante, com R$ 300 bilhões em financiamentos previstos até 2026.


Mas quais são os detalhes desse plano, o que é a neoindustrialização e por que é tão importante?


Esses são os temas do evento inaugural do BH-TEC em 2024: a primeira edição deste ano da Sexta no Parque vai reunir três dos principais nomes do país para falar sobre neoindustrialização: Verena Hitner Barros, secretária-executiva do Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI); Fernando Peregrino, chefe de Gabinete da Finep; e Marco Crocco, CEO do BH-TEC.


O evento começa às 9h30, no auditório do BH-TEC (Rua Professor José Vieira de Mendonça, 770). A participação é totalmente gratuita, mas mediante à retirada do ingresso no Sympla (garanta a sua presença AQUI).


Neoindustrialização


Afinal, o que é neoindustrialização?


"A palavra neoindustrialização se deve ao fato de que o Brasil passou recentemente por uma desindustrialização muito grande. E ter o setor industrial é o carro-chefe de qualquer economia", inicia Marco Crocco, PhD em Economia pela Universidade de Londres e com pós-doutoramento pelas Universidades de Cambridge, na Inglaterra, e Paris-Dauphine ou Paris IX, na França.



Segundo o especialista, é uma preocupação do governo atual mudar esse cenário, mas "não trata-se simplesmente de se reindustrializar".


"É se reindustrializar nos novos setores, mais dinâmicos, e que estão os novos desafios que estão colocados. Por isso, o termo neoindustrialização: é uma nova industrialização, não é simplesmente repetir o passado, mas começar com um novo processo de industrialização", afirma Crocco, antes de complementar:


"Centrado nos termos que estão colocados: transição verde, área de saúde, Tecnologia 4.0, Indústria 4.0, defesa, que são os temas centrais no processo da nova indústria, do novo tipo de industrialização".

Guia para o Brasil

Esse conceito, portanto, é o norte para as políticas públicas do Brasil - por isso, o plano Nova Indústria Brasil (NIB) prevê metas e ações até 2033.


"A política de neodindutrizliação do atual governo tem uma composição em várias outras políticas que são integrantes de uma estratégia de reindustrializar o país", resume Fernando Peregrino, chefe de Gabinete da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos).



A financiadora, inclusive, realiza uma série de seminários sobre o tema: “Reindustrialização em novas bases e apoio à inovação nas empresas”.


"Essa política, portanto, envolve o desenvolvimento tecnológico, a aplicação tecnológica, redução da produção de carbono, transição energética, biotecnologia, uso de recursos tecnológico como inteligência artificial... Por isso a importância de ser discutida no BH-TEC, um ambiente de ciência e tecnologia", afirma Peregrino.


"A Nova Indústria surge em um momento oportuno para o Brasil, ela tem um modelo moderno, estruturado em missões que miram os grandes problemas da nossa sociedade e colocam a indústria como meio para soluciona-los, melhorando a qualidade de vida das pessoas", ressalta Verena Hitner, secretária-executiva do Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI).


Seminário sobre neoindustrialização promovido pela Finep
Último seminário promovido pela Finep foi realizado no dia 20 de fevereiro | Finep/Divulgação

Ao todo, o Programa Mais Inovação (Finep + BNDES), parte da Nova Política Industrial, alocará R$ 66 bi para projetos inovadores em quatro anos, com R$ 41 bi da Financiadora.


E quem deve participar do debate sobre Neoindustrialização, sediado pelo BH-TEC, na sexta-feira, dia 1º de março?


"Os novos empreendedores, as startups, os jovens entrando na universidade devem querer conhecer melhor a nova fase que o Brasil está vivendo. Ou seja, reconstruir uma economia baseada em conhecimento, em tecnologia", responde o chefe de Gabinete da Finep.


Sexta no Parque: Neoindustrialização


Dia 1º/3, auditório do BH-TEC


9h30: Boas-vindas com lanche

10h: Início da mesa redonda com Verena Hitner Barros, Fernando Peregrino e Marco Crocco

11h30: Interação com o público

12h: Encerramento com almoço no Restaurante Terraço (não incluído)


Inscrições: Sympla

116 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page