top of page
Buscar
  • Foto do escritorComunicação BH-TEC

Uma década como motor da inovação


Ao comemorar uma década como motor da inovação, Fundep lança novo progoma de investimentos | Maria Carolina Martins/Fundep

"Missão de contribuir para que a universidade transfira o conhecimento produzido para a sociedade".


Com esse objetivo, a Fundepar (Fundep Participações S/A) celebra uma década de existência com o investimento em quase 60 empresas e o lançamento de uma nova ação: o Programa Fundep de Investimento de Negócios de Impacto.


A novidade faz parte das celebrações dos 10 anos da empresa e foi anunciada oficialmente em evento nessa quarta-feira (21) que reuniu acionistas, gestores, empreendedores, financiadores e demais atores do sistema de ciência, tecnologia e inovação para discutir “O papel do empreendedorismo na CT&I”.


Um dos participantes da mesa foi o autor da frase que abre este post: o CEO do BH-TEC, Marco Crocco, responsável por presidir a Fundep em 2013, quando a Fundepar foi criada.


"Pesquisador sempre olhou para o mercado com receio, mas confiava na Fundep. Por isso a Fundação se dispôs a ser essa ponte", acrescentou.

CEO do BH-TEC, Marco Crocco, durante fala na comemoração | Maria Carolina Martins/Fundep

Outra convidada também teve papel importante há 10 anos: a reitora da UFMG, Sandra Regina Goulart Almeida. Em 2013, a professora integrava o conselho curador da Funde.


“Submetemos a presidência da Fundep a uma verdadeira sabatina. Para nós, era difícil conceber uma empresa de investimentos como sendo missão da Fundep. Por fim, fomos convencidos de que era necessária uma atuação profissional na conexão entre Universidade e sociedade, com benefício para ambos”, lembrou.

Reitora da UFMG, Sandra Goulart, foi uma das convidadas para compor a mesa do evento | Maria Carolina Martins/Fundep

Inovação no sangue


Se a Fundep inovou ao criar uma empresa de participações para investimento em negócios de base tecnológica, a Fundepar está inova ao criar um fundo de investimento para empresas dispostas a solucionar problemas de impacto social.


“A tese deste novo fundo é que há no escopo das ciências sociais, humanas, linguística, artes, educação e afins projetos acadêmicos que podem gerar tecnologias sociais e empresas capazes de inovar no enfrentamento das mazelas da sociedade e que precisam de investimento para os seus momentos iniciais, os mais difíceis de uma empresa”, informou o presidente da Fundep, Jaime Ramírez.


Saiba mais na reportagem disponível no site da Fundep!

14 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page