top of page
Buscar
  • Foto do escritorComunicação BH-TEC

Jornada Científica é inaugurada e aproxima jovens e sustentabilidade: 'Questão de humanidade'


Alunos participantes da Jornada Científica e equipe do CIS
Jornada Científica é inaugurada: programa tem duração prevista até outubro | Virgínia Muniz/BH-TEC

"É uma questão de humanidade". Foi assim, com essa frase, que o estudante Bernardo Ludovico Liberato, de 15 anos, definiu o que é sustentabilidade. Ele é um dos adolescentes que participam da primeira edição Jornada Científica de Inovação Sustentável, programa inaugurado nesta quarta (12), no BH-TEC.


A Jornada é um projeto promovido pelo Centro de Inteligência em Sustentabilidade, o CIS, do BH-TEC, cujo objetivo é levar a ciência e seu pensamento metodológico para a vida cotidiana e também para a formação dos alunos de Ensino Médio.


"Hoje inauguramos muito bem a Jornada, esse projeto de viés educativo e de popularização da ciência e inovação. Foi muito rico, pois conseguimos trazer para os alunos uma realidade que eles ainda têm pouco acesso, principalmente no contexto do nosso país", afirma a gestora do CIS, Camila Viana.

Alunos acompanham apresentação sobre BH-TEC durante a Jornada
Alunos são recepcionados pela gestora do CIS, Camila Viana; pelo analista do centro, Gustavo Assis, e pela Head de Inovação do BH-TEC, Ana Canhestro | Virgínia Muniz/BH-TEC

Cerca de 10 alunos do Instituto Casa Viva de Educação e Cultura foram recepcionados pela equipe do CIS, do BH-TEC e de empresas residentes. Após um bate-papo sobre sustentabilidade, os adolescentes conheceram de perto o prédio do Parque, bem como os laboratórios das empresas Ecovec e Biosfera Soluções Sustentáveis.


"Eles tiveram contato com a importância do fazer científico e da pesquisa a partir das conversas fomentadas com as empresas residentes do Parque e também pesquisadores, como o Otávio Hamdan [engenheiro químico, que fez uma fala diretamente da Alemanha]", afirma Camila Viana.

Alunos visitam laboratório da Ecovec
Jovens são apresentados à tecnologia da Ecovec | Virgínia Muniz/BH-TEC

"Dessa forma, ficou possível o entendimento das facetas da inovação e da sustentabilidade, trazendo um tema muito importante - a água -, que tem seu próprio objetivo nos ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) da ONU, como nos lembrou Otávio", complementa a gestora.


Aprendizados e caminhada


Após a visita aos laboratórios, os alunos ainda caminharam por partes da ZPA (zona de preservação ambiental), localizada no território do nosso prédio, e a estação de tratamento de efluentes da Wetlands, outra empresa residente do BH-TEC.


“[Sustentabilidade] É um assunto muito discutido, mas às vezes sinto que falta a gente discutir de uma maneira diferente. Quando a gente aprende sobre sustentabilidade é diferente", afirma Bernardo, autor da frase que abre esta reportagem.


Alunos durante a Jornada Científica
Recepção do programa promovido pelo CIS | Virgínia Muniz/BH-TEC

"É uma questão de humanidade, não adianta o Brasil se esforçar em ser mais sustentável, entregar água pra população e, por exemplos, os EUA continuarem jogando gases na atmosfera. Precisa desse senso de união, isso não pode ser individual”, complementa o estudante de 15 anos.


“Um debate que a gente tenta estimular na escola é justamente sair pra fora do que é simples. A gente precisa avançar, as soluções que temos não dão conta. Não é possível fazer isso sem dinheiro e sem política”, diz Arthur Correia, professor de biologia, da Casa Viva, que acompanhou os alunos.


É só o começo!


Com essa dinâmica, a Jornada dá o pontapé inicial em um projeto que deverá ser encerrado apenas em outubro, em um evento-mostra das soluções e produtos elaborados pelos estudantes.

Alunas conhecem o prédio central do BH-TEC
Alunos conhecem a estrutura do Parque Tecnológico de BH | Virgínia Muniz/BH-TEC

"Começamos com o pé direito esse programa que temos muito orgulho de iniciar no dia de hoje", vibra a gestora do CIS, Camila Viana.


Além da gestora, os alunos bateram um papo com a Head de Inovação do BH-TEC, Ana Canhestro; a analista de comunicação da Biosfera, Fernanda Freitas; além de Otávio Hamdan, direto da Alemanha.


O doutorando em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos pela UFMG - e servidor de carreira da Agência Reguladora de Água e Esgoto de Minas Gerais (Arsae-MG) - atualmente faz parte do Programa do Chanceler Alemão para líderes do futuro, e estuda estratégias alemãs para aumento do acesso aos serviços de água e esgoto.


“Isso que eu estou fazendo aqui é entender como a Alemanha consegue entregar água para toda a sua população e, posteriormente, tentar pegar essas estratégias para levá-las para o Brasil", disse.

Alunos visitam o laboratório da Biosfera
Alunos visitam a estrutura da Biosfera | Virgínia Muniz/BH-TEC

"Sustentabilidade e inovação ainda fazem parte de uma discussão muito limitada a certos espaços. Trazer estudantes, principalmente do Ensino Médio, e ampliar esse movimento, como discutir as ODS, é fundamental para saberem que existem esses conceitos em todas as áreas", afirmou a analista da Biosfera.


Ana Canhestro, por sua vez, apresentou o BH-TEC e perguntou aos alunos qual é primeira palavra que aparecia à mente deles quando pensavam em sustentabilidade ou inovação. Quer saber as respostas?


Veja aí:


  • clichê

  • plantas

  • cosméticos

  • futuro

  • desmatamento

  • animais morrendo

Sensacional, não é mesmo?!


Continue de olho para acompanhar as próximas ações.


A Jornada promoverá, ao longo de sua duração, eventos de trocas abertos à toda comunidade. A experiência também será traduzida em produtos culturais, objetos privilegiados de divulgação científica de um tema central: a água.


Além disso, os alunos também registrarão os princípios científicos que permearam as ações ao longo dessa Jornada Científica.

141 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page