top of page
Buscar
  • Comunicação BH-TEC

Programa aporta R$ 100 mil para impulsionar pesquisas em hard science

Atualizado: 14 de dez. de 2022


Programa visa tecnologias em hard science | Crédito: Michal Jarmoluk/Pixabay

Esta publicação é para você que tem uma pesquisa e quer transformá-la em um negócio de sucesso. E é isso mesmo o que você leu no título: serão distribuídos R$ 100 mil para dar aquele empurrão. Vamos detalhar tudo, mas já anote aí: as inscrições vão se abrir no dia 16 de janeiro!


Estamos falando do Escale-se:Summit, programa de inovação do Escalab que chega à 2ª edição e conta com a parceria do BH-TEC. "O Escala-se é importantíssimo para quem tem interesse em sair de uma pesquisa da universidade e transformar isso em um negócio. É um programa que acelera uma ideia", resume Camila Viana, gestora do Centro de Inteligência em Sustentabilidade (CIS).


"É para uma pessoa que tem o interesse de entregar uma solução ao mercado, mas não sabe como fazer esse movimento, como tirar de dentro da universidade e levar de fato para o mercado", complementa Camila.


O foco são tecnologias em hard science, ou seja, nas áreas de química, física, engenharia e afins que estejam focadas na sustentabilidade.


Como vai funcionar?


São 4 etapas: inscrição, diagnóstico, aceleração e escalonamento. O programa pretende mapear cerca de 60 tecnologias espalhadas pelo Brasil e até 10 serão selecionadas para participar.


Já na fase de diagnóstico, serão construídos modelos de negócios, diagnósticos e o plano de trabalho de cada equipe. Na terceira etapa do programa, as equipes terão até 6 meses para validar seu modelo de negócios e planejar o escalonamento de sua tecnologia.


Ao final, até 3 equipes serão selecionadas para a última fase e serão aportados até R$ 100 mil para o escalonamento dessas tecnologias.


“As empresas vão entrar na aceleração do Escalab, que já tem muita experiência, muitos anos de atuação e sucesso. Várias empresas se consolidaram e estão hoje no mercado prestando serviços nessa linha também de sustentabilidade", diz a gestora do CIS.


"Abrimos programas de inovação aberta para que possamos conectar as universidades com os nossos parceiros e, também, com os desafios que o mercado enfrenta. Queremos mostrar o passo a passo de como tirar uma ideia do papel, ou pesquisa que está em andamento, e como fazer esse estudo virar um novo produto, ou uma interação direta com o mercado", afirma a gestora-geral do Escalab, Maria Duarte de Oliveira.


Super interessante, não é?! Tem mais!


Suporte até depois do 'fim'


As empresas selecionadas vão ser convidadas a participar de um programa de pós-aceleração do BH-TEC. "A ideia é que essa empresa esteja imersa no nosso ecossistema, que a gente a auxilie promovendo as conexões que ela precisa e fornecendo esse suporte para que ela consiga se sustentar por mais um período e possa chegar de fato ao mercado”, explica Camila Viana.


Resumindo: se a empresa topar, vai ser conectada formalmente ao BH-TEC e ter uma série de benefícios.


Quais benefícios? Confira alguns:


  • acesso presencial ao Hub de Inovação, espaço de coworking

  • mentoriais na temática de ESG

  • horas de assessoria com especialistas


Eu posso participar?


Podem se inscrever alunos de graduação, pós-graduação, mestres, doutores e professores, desde que estejam vinculados a alguma instituição de ensino.


O período de inscrições, como citamos, começa no dia 16 de janeiro de 2023, mas o edital já está liberado! Você confere todas as informações AQUI.

Vem escalar-se!


1ª edição


O Escale-se 1 ocorreu inteiramente online durante um dos ápices da pandemia. "É muito interessante ver o crescimento das equipes durante o processo e dos empreendedores. Aprender a lidar com empresas, como entramos em uma negociação e quais os melhores caminhos", relata a gestora-geral do Escalab, Maria Duarte de Oliveira.


"Assim, formamos um perfil empreendedor ao longo do programa. Então, ao final do programa, as equipes serão capazes de tomar as próprias decisões sobre o negócio", complementa.


Uma das empresas finalistas foi a Innsumo. Depois de passar pelo Escale-se, a Innsumo recebeu recursos do Programa Catalisa ICT do Sebrae e ganhou o prêmio de R$100 mil na competição de startups no Health Business Summit de 2022.


Integrantes da Innsumo e do Escalab | Crédito: Escalab/Divulgação


A Innsumo é uma startup biotecnológica, que produz de forma otimizada biossurfactantes para serem utilizados em produtos cosméticos por serem moléculas naturais, atóxicas e biodegradáveis, responsável pela formação de espuma e a cremosidade das emulsões.


Através de um método biotecnológico otimizado, a equipe atingiu um rendimento em escala laboratorial cerca de 30 vezes maior em relação ao processo não otimizado, com um custo de produção 99% inferior, o que possibilitou a concorrência de mercado com os tensoativos sintéticos.


Um dos desenvolvimentos realizados foi o de um produto cosmético com a empresa FARMAX, de Divinópolis (MG), substituindo a ação de 3 surfactantes sintéticos por um único biossurfactante biotecnológico. A troca reduziu a quantidade de ingredientes na formulação, além de obter uma performance 10% maior do que a encontrada na formulação original.

99 visualizações0 comentário
bottom of page