top of page
Buscar
  • Foto do escritorComunicação BH-TEC

Sexta no Parque sobre Negócios de Impacto inspira, desperta e provoca: 'Precisamos urgentemente de uma nova economia'

Palestrantes da Sexta no Parque no palco do auditório do BH-TEC
Palestrantes de impacto: cinco referências de segmentos diversos promoveram o debate no Sexta no Parque | Virgínia Muniz/BH-TEC

"Precisamos urgentemente fazer a mudança para uma nova economia. Todos os negócios e investimentos causam impacto, vai de você entender se eles serão positivos ou negativos".


A forte reflexão, feita por uma das palestrantes, resume a última edição do Sexta no Parque, com o tema Negócios de Impacto Socioambiental, realizada no dia 12 no BH-TEC.


O tradicional evento gratuito mensal promovido pelo Parque Tecnológico de Belo Horizonte trouxe cinco especialistas referências em todo o Brasil para fomentar o importante debate pelos diversos ângulos: poder público, banco, investimentos, startup e terceiro setor.


"Não tinha como abordar esse assunto de forma robusta e completa sem trazer todo mundo que está aqui", resume a Head de Sustentabilidade do BH-TEC, Camila Viana.


Camila Viana fala durante Sexta no Parque
Head de Sustentabilidade, Camila Viana, exalta importância do tema | Virgínia Muniz/BH-TEC

"Aqui, no BH-TEC, essa temática está em uma crescente. A gente vem trabalhando para promover sustentabilidade neste ambiente de inovação e, dentro dessa trajetória toda, encontramos o conceito de negócios de impacto socioambiental", complementa.

Confira o que os cinco palestrantes abordaram:


Giselle Sakamoto Souza Vianna

Giselle Sakamoto Souza Vianna fala durante Sexta no Parque
Giselle Sakamoto Souza Vianna | Virgínia Muniz/BH-TEC

A coordenadora de Economia Verde do Departamento de Novas Economias do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) apresentou a ENIMPACTO, a Estratégia Nacional de Economia de Impacto.


Veja a palestra na íntegra aqui.


"Evento maravilhoso! Saio daqui muito feliz em representar a nossa estratégia nacional de economia de impacto e falar da importância do BH-TEC para o ecossistema local - e vamos desenvolver juntos um sistema nacional de economia de impacto", avalia Giselle, após o evento.


Vitória Junqueira

Vitória Junqueira fala durante Sexta no Parque
Vitória Junqueira | Virgínia Muniz/BH-TEC

A Head de Mobilização e Relações Institucionais da Aliança pelo Impacto - e autora da fala que abre esta reportagem - falou sobre a Aliança pelos Investimentos e Negócios de Impacto, que articula sua rede de relações a fim de atrair investidores, empreendedores, governos e parceiros.


Veja a palestra na íntegra aqui.


"Tivemos uma apresentação do ecossistema de impacto, apresentação de negócios de impacto e investimento de impacto muito rica", afirma a especialista.


Thayssa Gelenske

Thayssa Gelenske fala durante Sexta no Parque
Thayssa Gelenske | Virgínia Muniz/BH-TEC

A gerente nacional de Inovação e Negócios de Impacto na CAIXA abordou como o banco tem se preparado para trabalhar com Negócios de Impacto e o vínculo histórico da CAIXA com o desenvolvimento socioambiental do Brasil.


Veja a palestra na íntegra aqui.


"Abordamos o impacto de novos negócios nos bancos e como os bancos têm que se posicionar: não apenas com arranjos financeiros, mas também entendendo soluções e ajudando a construir soluções de impacto", resume, após a palestra.


Carlos Lopes

Carlos Lopes fala durante Sexta no Parque
Carlos Lopes | Virgínia Muniz/BH-TEC

O diretor executivo da Fundepar (Fundep Participações S.A.) apresentou o Arapy, o fundo de investimento em negócios de impacto social.


Veja a palestra na íntegra aqui.


"Foi muito legal poder fazer essa troca, aprender um pouco com todos os participantes e assumir esse papel, com o BH-TEC, de promover o desenvolvimento de negócios sob a ótica, sob a luz dos impactos que os investimentos causam nos aspectos sociais e ambientais", resume o diretor.


André Belisário

André Belisário fala durante Sexta no Parque
André Belisário | Virgínia Muniz/BH-TEC

O cofundador e Gestor de Projetos Educacionais do EPF (Escritor para o Futuro) apresentou a startup: um programa de impacto na educação voltado para empresas que buscam alinhar os seus objetivos corporativos com a construção de um futuro mais justo e sustentável para crianças e jovens de escolas públicas.


Veja a palestra na íntegra aqui.


"Foi um ambiente muito próspero pra gente: tivemos oportunidade de conhecer outras visões, outros personagens desse ambiente de impacto, o que pra gente é muito importante", finaliza.




62 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page