top of page
Buscar
  • Foto do escritorComunicação BH-TEC

#SextaNoParque: BH-TEC reúne quatro grandes empresas no primeiro evento do ano


Auditório do BH-TEC cheio de visitantes
Auditório durante palestras realizadas pelas empresas convidadas | Virgínia Muniz/BH-TEC

Por Virgínia Muniz


Para dar início à agenda de eventos deste ano, a primeira Sexta no Parque de 2023 reuniu quatro grandes organizações e atingiu a capacidade máxima do auditório. Foram convidadas ArcelorMittal, Fiemg Lab, MRV e VLI para apresentar e viabilizar o acesso das startups a projetos de inovação aberta, além propor uma conversa sobre o cenário da inovação.


“O encontro foi excelente, muito produtivo, tudo o que a gente fez aqui foi fomentar o ecossistema de inovação de Belo Horizonte”, conta Marcus Pereira, BP (business partner) de Projetos de Inovação da AçoLab.


Negócios


O evento registrou lotação máxima. Um dos participantes foi Ricardo Viallet, engenheiro de controle e automação há 45 anos, que enxergou na Sexta no Parque uma oportunidade para os negócios.


“Eu trabalho com algumas startups há alguns anos, acompanho as tecnologias e procuro fazer um tipo de conexão. Quando aparece algum desafio ou alguma demanda, eu faço a conexão com a startup que pode ter uma solução e fiquei sabendo desse evento onde grandes empresas estariam aqui ”, conta Ricardo.

Participantes da Sexta no Parque conversam durante o evento
Momento de conexão entre participantes e empresas na Sexta no Parque | Virgínia Muniz/BH-TEC

Assim como o engenheiro, Marília Araújo, analista de incubação da Inova UFMG, viu na Sexta no Parque uma oportunidade de auxiliar a empresa que está em fase de relançamento.


“Foi muito importante participar do evento. A Inova está sendo relançada no mercado. Então, essa conexão com a empresa faz muito sentido para a fase em que a gente está. Estar em um ambiente do ecossistema faz muita diferença”, conta Marília Araújo.


Importância


Com o desafio de colocar em pauta discussões sobre inovação, a Sexta no Parque é uma das ações que materializam esse objetivo.


“Eventos como este, que propõe discussões sobre inovação aberta, é o nosso foco. Estar ligado, fazer conexões, é muito importante para estabelecer a ponte entre a universidade e empresas”, diz Camila Dutra, analista de alianças estratégicas da CTIT - UFMG e participante da Sexta no Parque.


Participantes conversam durante a Sexta no Parque e fazem perguntas no auditório
Um dos objetivos da Sexta no Parque é justamente criar um ambiente de networking | Virgínia Muniz/BH-TEC

“A abertura de todas as empresas para essa área de inovação é super importante, ficamos muito felizes em participar”, conta também, Melina Diniz, que trabalha no setor de prospecção da CTIT.


Participantes


As quatro organizações convidadas apresentaram para o público seus projetos de inovação.


Fiemg Lab


O program leader do FIEMG Lab 4.0 Aceleração, Dyego Fernandes, foi o responsável por apresentar oportunidades como FIEMG Lab 4.0, 'Challengers' entre outros.


“Eu apresentei o Fiemg Lab, que é o nosso programa de aceleração focado no desenvolvimento de startups, além de outros projetos como os 'Challengers', que são desafios desenhados com a indústria para que as startups possam resolver. Você, startup ou indústria, que deseja conhecer mais, é só acessar o nosso site”, conta Dyego Fernandes.


Dyego Fernandes, program leader do FIEMG Lab, faz apresentação no BH-TEC
Dyego Fernandes, program leader do FIEMG Lab, na apresentação do programa | Virgínia Muniz/BH-TEC

MRV


A analista de Inovação da MRV, Isabella Trindade, falou sobre os objetivos futuros da organização, além de apresentar as oportunidades.


“Foi uma oportunidade de conversar com diversos públicos, falar sobre a MRV, sobre o nosso plano de ser uma plataforma habitacional, porque a gente entende que ter um apartamento e morar são coisa totalmente diferentes. Além de apresentar todas as oportunidades que existem na parte de inovação dentro a MRV”, diz Isabella.


VLI


Lucas Silva, que atua na Transformação Digital & Inovação da VLI Logística, também apresentou as oportunidades na organização.


“Eu apresentei nossa estratégia de inovação aberta, além de mostrar alguns cases que a VLI tem executado. Se você quiser saber mais, basta acessar a área de inovação em nosso site”, indica Lucas.


Lucas Silva, da VLI, e Marcus Pereira, do AçoLab, fazem apresentações | Virgínia Muniz/BH-TEC

Aço Lab


Marcus Pereira, BP de Projetos de Inovação do AçoLab, expôs o pilar da inovação aberta na ArcelorMittal, o Aço Lab.


“O encontro de hoje serviu pra gente fomentar o ecossistema e fortalecer o relacionamento com startups”, conta Marcus. Para saber mais sobre o programa, basta entrar em contato através no e-mail: daniela.mascarenhas@arcelormittal.com.br.


Conexões


Logo após as apresentações, os participantes tiveram a oportunidade de conversar com todas as empresas, tirar dúvidas e o principal: fazer conexões.


“Eu conversei muito com o Lucas: a gente comentou sobre um projeto que a VLI tem com o CEFET, que envolvia as cargas dos vagões que eles transportam. Eu perguntei para ele se ter conhecimento do peso que está sendo transportado em cada vagão é importante, porque eu conheço uma startup que desenvolveu um sistema que transforma o próprio caminhão que leva essas cargas para os vagões em uma balança, uma auto balança”, conta Ricardo Viallet, que se interessou desde o início pelas empresas participantes do evento.

Bolo oferecido durante Sexta no Parque e participantes conversando durante o evento
Sexta no Parque é um evento gratuito oferecido pelo BH-TEC | Virgínia Muniz/BH-TEC

A “Sexta no Parque” é um evento organizado pelo BH-TEC em que cada edição é selecionado um tema para discussão. São convidados diferentes atores, especialistas, líderes de organizações, diretores, entre outros, para bater um papo sobre o assunto.


O evento é gratuito!


Para acompanhar e participar das próximas edições, basta acompanhar nossos canais de comunicação: Instagram e Linkedln, além deste site.


37 visualizações0 comentário
bottom of page